Como unir marketing e código de cultura para alcançar maiores resultados

Richard Warrell assume supervisão criativa da Pepper – Meios & Publicidade
janeiro 13, 2020
Revisão do Regulamento Municipal de Publicidade
janeiro 14, 2020
Show all

Como unir marketing e código de cultura para alcançar maiores resultados

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Marketing é o conjunto de estratégias que uma organização adota para criar, comunicar e entregar valor a consumidores, colaboradores e sociedade em geral, por meio de ofertas de serviços e produtos.

Já o código de cultura apresenta os princípios, valores e crenças que, quando absorvidos pelas equipes de trabalho, norteiam uma organização e embasam as suas decisões.

Ok, mas o que marketing e código de cultura têm a ver? Embora pareçam desconexas, essas áreas interagem entre si.

Juntas, influenciam na maneira como os colaboradores percebem a organização e o mercado percebe a marca e nos resultados que a empresa obtém com isso. 

Quer entender melhor do que estamos falando? Neste texto você verá:

Acompanhe!

 

O que é código de cultura?

Código de cultura ou culture code é a formalização da cultura organizacional, que representa os princípios, valores e crenças que norteiam o ambiente interno de uma empresa.

Ela pode ser documentada em forma de texto, vídeo, slides, infográficos ou qualquer outro formato que seja atrativo e favoreça a apreensão do seu conteúdo.

Esse documento contém os comportamentos e atitudes que a organização valoriza e que devem ser percebidos nos colaboradores para que eles contribuam para o crescimento da empresa.

Esses princípios também podem nortear a contratação de funcionários e a escolha de cliente e parceiros, de maneira que a empresa nutra relações de acordo com seus valores.

No planejamento estratégico de uma empresa, é essencial que ela defina a sua missão, visão e valores.

Essas definições dizem qual é o propósito maior da marca, onde ela quer chegar e quais valores vão guiá-la até lá.

Porém, em muitos casos, missão, visão e valores viram frases esquecidas na parede da empresa ou na página “Sobre nós” do site.

Mas sabe o que pode ajudar a colocar esses planos em prática? O código de cultura, que torna a missão, a visão e os valores mais tangíveis a quem realmente interessa: os colaboradores.

Afinal, são eles que constroem a empresa no dia a dia e traduzem quem a marca é. Portanto, eles precisam entender o que a empresa espera deles para que ajudem a cumprir sua missão — e é isso que o código de cultura pode fazer.

Porém, código de cultura não pode ser algo imposto “de cima para baixo”. Não adianta mandar um e-mail dizendo como a equipe deve se comportar ou fazer uma apresentação de Power Point cheia de frases bonitas, ok? 

Para ser consistente e realmente funcionar, ele deve ser construído em conjunto com os colaboradores e vivenciado no dia a dia, em todas as áreas e equipes da empresa.

Assim, os comportamentos dos colaboradores ajudam, ao mesmo tempo, a definir a cultura organizacional e a colocá-la em prática.

Quer um exemplo bacana de como é um código de cultura?

Aqui na Rock, elaboramos uma apresentação que explica os nossos principais valores e como vivenciamos cada um deles. Basicamente, ele resume quem somos e quem queremos ser.

Outro exemplo bacana é a maneira como a Pixar incentiva uma cultura de criatividade ao estimular relações de honestidade e franqueza e abordar o fracasso de maneira mais aberta. Inspire-se também com esse case.

 

Como marketing e código de cultura se relacionam?

Afinal, o que marketing e código de cultura têm a ver? Parece que a cultura organizacional é apenas uma ferramenta de gestão de pessoas, que não aparece para o público externo, não é?

Só que não é bem assim. Vamos mostrar como esses dois conceitos estão relacionados.

Cultura organizacional representa a essência de uma marca. Seus princípios devem ser promovidos internamente, para integrar os colaboradores, atrair talentos alinhados à cultura e orientar as decisões sem deixar a empresa sair dos trilhos.

Aí está uma das conexões entre marketing e código de cultura: o endomarketing (ou marketing interno).

Essa área do marketing é responsável por criar estratégias voltadas para o ambiente interno com a intenção de melhorar a imagem da marca junto aos colaboradores e aumentar a sua satisfação no trabalho.

Uma das ferramentas do endomarketing é a construção coletiva de um código de cultura coerente com o discurso e o dia a dia da empresa. Dessa maneira, o marketing interno ajuda a consolidar a cultura organizacional.

Ele serve para alinhar os valores da empresa com os valores dos colaboradores, o que aumenta o senso de pertencimento, a produtividade, a motivação e cria um clima organizacional positivo.

Porém, o código de cultura não se volta apenas para dentro — ele também é transmitido para fora e traz benefícios diante da concorrência. De acordo com uma pesquisa da Deloitte, 82% dos executivos entrevistados acreditam que a cultura de uma empresa representa uma vantagem competitiva no mercado.

E você sabe como se chama a transmissão do código de cultura para o público externo? Branding — um conjunto de estratégias de gestão de marca, para transmitir a identidade no mercado e torná-la mais conhecida, admirada e desejada pelos consumidores.

Para isso, o branding deve estar presente nas estratégias de marketing, de maneira que a essência da marca seja transmitida nas peças publicitárias, nos posts de redes sociais e nos vídeos corporativos, por exemplo.

Portanto, a cultura organizacional se traduz na identidade da marca que o marketing transmite para o mercado. E, assim, afeta a maneira como o público externo percebe a marca.

Veja, então, como branding, marketing e código de cultura estão relacionados. Por isso, eles devem estar alinhados para transmitir uma imagem coerente e confiável, tanto interna quanto externamente.

 

Como o marketing pode contribuir para a cultura organizacional?

Se marketing e código de cultura se relacionam, como um pode contribuir para melhorar o outro?

Veja como o marketing pode fortalecer a cultura organizacional de uma empresa e algumas dicas para isso!

O endomarketing deve promover o código de cultura no ambiente interno

O endomarketing é responsável pela gestão da marca no ambiente interno. Então, é seu papel também promover o código de cultura junto aos colaboradores.

Para que o código de cultura não seja mera formalidade e fique esquecido, o endomarketing deve criar oportunidades para relembrar os colaboradores sobre os princípios que norteiam a empresa.

Para isso, é preciso utilizar as ferramentas de comunicação interna, cujo papel é transmitir informações relevantes e estratégicas no ambiente corporativo.

Entre essas informações, está o código de cultura.

Isso pode ser feito por meio simples e-mails utilizando uma linguagem alinhada ao perfil da marca, um grupo de Facebook que sirva para compartilhar links e notícias ou eventos internos que reforcem os valores da cultura organizacional.

newsletter da rock

Relembrar os princípios do código de cultura é especialmente importante em tempos de trabalho remoto.

Sem o convívio diário e a interação presencial entre os colaboradores, esses princípios podem se perder.

Então, é função do endomarketing promover a integração desses colaboradores e relembrar os valores periodicamente.

O marketing deve disseminar os valores da marca no mercado

Um dos papéis do marketing é tornar o branding tangível por meio de suas ações. Quando uma marca cria um anúncio de jornal, faz um post no Instagram, desenvolve um novo produto ou atende um cliente, ela transmite os valores da marca — seja por meio do texto, seja pela composição visual, seja pelas cores, seja até mesmo pelo que está nas entrelinhas.

Os posts nas redes sociais da Netflix, por exemplo, evidenciam que os valores da marca envolvem originalidade, criatividade e diversão. O tom de voz utilizado consegue envolver o público e aproximá-lo da marca.

Vale lembrar que branding e código de cultura devem estar alinhados para construir uma identidade forte para a marca.

Portanto, quando o marketing transmite os valores da marca para o público externo, ele também está ajudando a consolidar a cultura organizacional.

Para que esse alinhamento seja ainda mais firme, é interessante integrar os colaboradores nas estratégias de marketing. Você pode, por exemplo, convidá-los a escrever textos para o blog, fazer entrevistas com eles e integrá-los no Marketing de Conteúdo.

Assim, a cultura organizacional aparece ainda mais claramente nas ações para o público externo.

O marketing faz atrair talentos alinhados ao código de cultura

Ao disseminar a cultura organizacional externamente, o marketing deixa claro quem a marca é.

Assim, funciona também como uma ferramenta de recrutamento, capaz de despertar o desejo de trabalhar naquela empresa e atrair talentos que estejam alinhados ao código de cultura.

Isso é essencial para fortalecer a cultura organizacional internamente. Digamos, por exemplo, que o código de cultura de uma empresa valorize pessoas que tenham iniciativa própria para resolver problemas.

Então, ao atrair profissionais com esse comportamento, o perfil da equipe vai se consolidando naturalmente, em alinhamento ao que a empresa deseja para a sua cultura.

Atrair profissionais com fit cultural também é um caminho para reter os talentos na empresa e reduzir o índice de turnover.

Afinal, os contratados se sentem mais à vontade em um ambiente corporativo alinhado aos seus valores, com equipes coesas em suas visões. Com isso, aumentam também a satisfação, a produtividade e a motivação com o trabalho.

Você pode se interessar por esses outros conteúdos
👉 Quais as diferenças entre cultura e clima organizacional
👉 Retenção de talentos: como fazer em sua empresa
👉 Inclusão de pessoas com deficiência: como incentivar o mercado

 

Como a cultura organizacional pode contribuir para o marketing?

Por outro lado, a cultura organizacional também pode ajudar a fortalecer as estratégias e ações do marketing.

Quer saber como isso pode acontecer na sua empresa? Acompanhe agora para entender!

A cultura organizacional mostra que o marketing não é só discurso

No mercado atual, os consumidores exigem transparência e coerência das empresas. Grande parte deles não se importa mais apenas com preço ou conveniência, por exemplo — importante também é saber de onde vêm os produtos, como funcionam os processos das empresas e quais valores norteiam as suas ações.

Por isso, não basta mais dizer nos posts do Facebook que é a favor da diversidade, se na sua equipe não tem pessoas de diferentes etnias, crenças e orientações sexuais, por exemplo.

Não adianta dizer que você defende a sustentabilidade, se os processos internos desperdiçam materiais e não respeitam a natureza. Para os consumidores, isso é apenas discurso para vender mais.

O que mostra que o marketing não é apenas discurso é a cultura organizacional. Se os valores que a marca propaga externamente — a diversidade e a sustentabilidade, por exemplo — estão expressos no código de cultura, então ela é coerente e ganha a confiança do público.

Se a empresa defende a diversidade, ela transparece esse princípio nas suas ações de marketing, ao promover campanhas contra homofobia e racismo, por exemplo. Mas também concretiza esses valores nos processos internos, com a contratação de pessoas negras, gays, transexuais e com deficiência ou com a criação de grupos de discussão sobre inclusão, por exemplo.

Dessa forma, marketing e código de cultura transmitem uma imagem coerente da marca, tanto interna quanto externamente, mas especialmente para o público externo, que deseja saber mais sobre os bastidores das empresas para saber se podem confiar nelas.

Uma equipe coesa gera mais resultados para o marketing

O código de cultura deve ser absorvido e vivenciado por todas as áreas e níveis da empresa. Portanto, a equipe de marketing também está imersa na cultura organizacional, segue os mesmos princípios e compartilha dos mesmos valores.

Nesse clima de integração, os colaboradores se sentem muito mais à vontade para contribuir, trocar ideias com os colegas e até criticar quando percebem algo que pode melhorar.

Esse ambiente de colaboração é essencial para o crescimento da empresa e para a inovação nas estratégias.

Além disso, também contribui para a produtividade dos colaboradores. Uma equipe coesa cria harmonia e aumenta a motivação para o trabalho.

Assim, o marketing tende a conquistar muito mais resultados, já que cria estratégias inovadoras e tem mais eficiência para gerar resultados.

Portanto, marketing e código de cultura trazem ganhos para as empresas quando estão alinhados entre si e representam valores vivenciados no dia a dia.

Os consumidores valorizam empresas que têm princípios consolidados e semelhantes aos seus, o que gera uma vantagem competitiva no mercado. E os colaboradores gostam de trabalhar em organizações que tenham uma cultura clara e alinhada ao que eles acreditam, o que traz satisfação e produtividade para a equipe interna.

Então, agora que você já entende a relação entre marketing e código de cultura, que tal ler nosso artigo completo sobre endomarketing? Aproveite para entender melhor as estratégias de marketing voltadas para dentro da empresa!



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda

Os comentários estão encerrados.